24 de abril de 2009


Rematamos as bordas pontiagudas dos erros, como se de pecados se tratassem. Lavamos as mãos para que não restem partículas de luta. Não queremos mostrar nem dar a entender que lutámos por isto. Moldamos o chão à medida da terra. Dominamos. Não andamos. Não me lembro daquilo que o meu corpo se lembra. Pensamos em terminar. Concluímos com questões, porque reparamos que nada ficámos a saber com isto. Fartamo-nos de sonhos. Sonhamos com outra coisa. Acreditamos que tudo é possível. Pensamos em realiza-lo um dia. Deixamos de pensar. Vai-se o desejo. Vai-se a fé. Sonhamos com outra coisa. Achamos impossível. E decidimos passar o tempo que resta a acreditar que estamos no fundo. Continuamos mesmo assim a moldar o chão do tamanho exacto dos nossos passos. E damos conta de nós mesmos. Queremos voltar a tentar. Sonhamos com outra coisa, acreditamos que tudo é possivel, pensamos em realiza-lo um dia, deixamos de pensar. bis




Quem tem medo do lobo mau? Eu não, eu não!
Se um elefante incomoda muita gente, dois elefantes incomodam muito mais, se dois elefantes incomodam muita gente, três elefantes incomodam muito mais, se três elefantes incomodam muita gente quatro elefantes incomodam muito mais, se quatro elef...por ai fora.

2 comentários:

Jo. disse...

aaahhh obrigado :D

eu gosto de empire of the sun!!

ja tinha saudades dos teus textos :)

beijinho e as melhoras**

Rurouni disse...

Empire of the sun :O o que eu ando doido por arranjar isso....

mas aquaparque é melhor, ahaha :D